Método


Primera parte. Introdução na teoría



A primeira é a discussão da noção de comum com base na literatura, principalmente a tese Commonwealth de A. Negri & M. Hardt, em diálogo com as noçoes D. Harvey, E. Ostrom, D. Bollier e P. Linebaugh. Trabalhando em pequenos grupos, cada qual seleciona um conjunto de bens comuns para apresentá-los ao demais participantes. Aqueles primeiros bens comuns som adicionados em um projeto de mapa, e depois ampla discussão com o resto do grupo, alguns deles som selecionados para sere pesquisados mais profundamente.

campo_conceitual.007



Segunda parte. Parametrização



O segundo passo consiste na adição de quatro parâmetros básicos para caracterizar os bens comuns selecionados. O primeiro parâmetro é a definição do nome que representa o bem comum discutido. Em seguida, pensa-se nos atores que tentam preservar este determinado bem comum. O terceiro parâmetro analisado foi o processo pelo qual os atores tentar preservar tal bem comum. O ultimo passo é distinguir o conflito, ou seja, a maneira pela qual o bem comum está ameaçado. É válido observar que, para se alcançar uma definição mais ampla de cada bem comum, é necessário explorar mais parâmetros, tais como: riqueza, benefícios, rendas geradas (diretas, se for o caso); escala (microlocal, bairro, cidade, região ou ambiente global), se o bem comum é aberto a todos ou restrito a uma comunidade fechada, dentre outros.


Parametros
Exemplo de Data Set de parametros.



Tercera parte. Creação de videos documentales cortos



O último passo consiste na produção de um vídeo curto para explicar e descrever cada bem comum analisado. Os vídeos foram produzidos em pequenos grupos, mas os créditos foram atribuídos a todos os integrantes da oficina, uma vez que todos participaram da edição final de cada produto audiovisual.





Por fim, os vídeos som adicionados ao mapa digital interativo, usando o meipi como plataforma de software online.
meipi2B
http://meipi.org/mappingthecommons.map.php





Explicação visual.